A preocupação com a pastagem no inverno tem sido uma "dor de cabeça" para os pecuaristas e para estes, a Embrapa tem aconselhado os mesmos a buscar alternativas de fornecimento de alimentos mais baratos para os animais e procurar linhas de crédito de custeio à pecuária. Outra sugestão é adotar estratégias para manter em produção somente os animais mais produtivos, e assim não correr o risco de perder uma parte do rebanho durante a estiagem.

"O ideal é que o produtor busque soluções junto aos parceiros técnicos para não ter escassez de alimentos, adotando algumas das tecnologias para reforma de pastagem, produção de feno, banco de proteínas, entre outras. E isso já deve ser feito agora para não ter problemas nos próximos anos novamente", diz Euclides Maranho, analista de Transferência de Tecnologia (TT).

Nos meses de outubro a abril, o pastejo nos piquetes onde ocorreram a reforma de pasto oferece alimento suficiente, desde que haja bom manejo do rebanho. "A partir de abril, a braquiária naturalmente para de produzir massa verde, mas o produtor que adota as tecnologias terá como fornecer alimento para o rebanho sem problemas", reforça o analista de TT.

Fonte: www.embrapa.br